Compostagem em Casa
Compostagem em Casa

Transformando resíduos orgânicos em adubo para as plantas: Compostagem em Casa.

Sempre de olho nas diversas técnicas sustentáveis para causar o menor impacto possível na natureza, utilizamos no resort uma destinação super ecológica aos resíduos orgânicos.

Com uma horta deliciosa com cultivo de diversos temperos, hortaliças que vão direto para a cozinha, o hóspede tem a incrível oportunidade de consumir produtos frescos e muito saudáveis.

Talvez o que você ainda não saiba é que essa prática da compostagem pode ser feita também na sua casa. Os benefícios são grandes não apenas para a comunidade, como também para seu jardim e plantas.

Segundo o biólogo Carlos Eduardo Cereto:  “O importante é que além do destino correto dado para o lixo, o adubo produzido pode ser usado em hortas e jardins”.

Ele acrescenta que: “O uso de adubo orgânico conserva as propriedades naturais do solo aumentando a vida útil do terreno.

Ao contrário do adubo químico que desgasta o solo mais rapidamente e causa vários problemas de produtividade”.

Como fazer?

Segundo o site da Revista Ecológico, “é necessário um espaço de, no mínimo, um metro cúbico para se fazer uma composteira doméstica.

Em caso de espaços menores como apartamentos, a compostagem pode ser feita em caixas.

Ao contrário do que muitos pensam, na compostagem não é indicado colocar terra, as camadas são feitas de lixo orgânico e outra de serragem ou folhas secas.

O tempo de decomposição depende do tipo de lixo e pode demorar de 9 a 16 semanas para decomposição total do lixo orgânico, que em forma de adubo, pode ser usado em hortas, jardins.

Mas, deve ser evitado em hortas, caso exista na compostagem dejetos de animais.

Passo a Passo:

1- Quem tem espaço com chão de terra no quintal pode separar um canteiro para fazer a compostagem.

Quem não tem, pode improvisar usando um recipiente grande, lembrando de fazer alguns furos laterais para a saída de ar.

2- Os resíduos podem ser colocados em camadas e não precisam ser separados por tipo, mas é interessante colocar em camadas alternadas de resíduos (cascas de frutas, legumes, ovos e outros), com camadas de folhas, palha, serragem ou mesmo terra.

Para acelerar a decomposição e evitar o aparecimento de moscas, recomenda-se cobrir tudo com uma lona.

3- Regar o conteúdo de dois em dois dias e revirar o recipiente com alguma ferramenta de jardim é importante para arejar o material em decomposição.

No caso da composteira feita no chão, ela deve ter mais ou menos 60 cm de altura e 1 metro de largura.

A cada 15 dias é importante virar o monte, revolvendo os materiais para facilitar a decomposição.

Em razão da ação de bactérias e fungos, o monte pode esquentar em até 60 graus, por isso devemos molhar de vez em quando, para diminuir a temperatura e manter a umidade, porém sem encharcar.

4- Após algumas semanas o material adquire uma coloração marrom escura, semelhante ao marrom café.

Dá para perceber que o composto está pronto quando não se percebe mais um “cheiro ruim” e sim um “cheiro de terra”, além disso, a aparência é bem homogênea e a temperatura fica igual à do ambiente.

5- Depois de pronto, o composto orgânico já pode ser misturado à terra do jardim, da horta e dos vasos.

Veja também: